Ouça agora na Rádio

Destaques

Notícias de Foz

Compartilhe agora

Polícia Federal nas ruas em operação contra lavagem de dinheiro e crimes financeiros

Postado em 15/08/2017 por

img-page-categoria

*Fonte imagem : Polícia Federal nas ruas em operação contra lavagem de dinheiro e crimes financeiros*





Jornal do Conesul

A Polícia Federal em parceria com a Receita Federal cumprem uma operação na manhã desta terça-feira (15) contra um esquema de lavagem de dinheiro. E os números impresionam, são 153 mandados judiciais, dois são de prisão preventiva, 17 são de prisão temporária e 53 são de condução coercitiva, além de 82 de busca e apreensão, mais de 300 policiais, 45 servidores da Receita Federal e cerca de R$5 bilhões movimentados ilegalmente.

Cinco estados do país estão no alvo da operação: Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Espírito Santo e Minas Gerais. No mais detalhado: Foz do Iguaçu, Curitiba, Almirante Tamandaré, Piraquara, São José do Pinhais, Assis Chateaubriand e Renascença, no Paraná; em Itapema, Balneário Camboriú e São Miguel do Oeste, em Santa Catarina; em Guarulhos e Franca, em São Paulo; em Vitória, Serra e Vila Velha, no Espírito Santo, e em Uberlândia, em Minas Gerais.

Segundo a PF, as investigações começaram em 2015 e tiveram como foco um grupo criminoso composto de cinco núcleos interdependentes para receber valores de pessoas físicas e jurídicas interessadas em adquirir mercadorias, drogas e cigarros provenientes do exterior, especialmente do Paraguai. A ação também investiga os crimes de organização criminosa, gestão temerária, operação irregular de instituição financeira e uso de documento falso.

Operação Hammer-on

A ação é um desdobramento das operações Sustenido e Bemol. Essas duas operações foram deflagradas pela Polícia Federal e pela Receita Federal de Foz do Iguaçu, respectivamente, em 2014 e 2015. Na teoria musical, o “sustenido” e o “bemol” são otas intermediárias entre duas notas musicais. Na analogia, as organizações criminosas intermediavam as negociações entre criminosos brasileiros e paraguaios.

Ou seja, o nome da operação é referente à técnica usada em instrumentos de corda para ligar duas notas musicais com uma mesma mão. Portanto, no cenário político é feita a referência ao hammer-on, numa só toada, “com uma só mão”, onde ligaram-se duas “notas musicais” (intermediários e demandantes).

Link da notícia

Deixe um comentário

Ao enviar um comentário você concorda com nossas politicias de comentários, saiba no link ao lado. política de comentários