public Notícia
Home/ Notícia
public Notícia

Foz do Iguaçu chega a 250 mortes por covid – confira o perfil das vítimas (25/12)

Entre os pacientes maiores de 80 anos, a letalidade da doença chega a quase 25%.

Imagem: Secretaria Municipal de Saúde.

A Secretaria Municipal de Saúde informou, nesta sexta-feira de Natal (25/12), a 250ª morte atribuída ao novo coronavírus em Foz do Iguaçu desde o início da pandemia. A vítima é uma mulher de 92 anos, que estava internada no Hospital Municipal Padre Germano Lauck.

Retrospectiva 2020: clique aqui para voltar ao índice com as principais notícias do ano.

O Jornalismo da Rádio RCI Iguassu teve acesso a um relatório produzido pela pasta, compilando informações sobre os falecimentos reportados nos boletins publicados até 20/12. Na ocasião, Foz do Iguaçu tinha 235 óbitos em decorrência da covid. Os dados sobre as 15 mortes restantes foram complementados pela emissora, com base nos boletins diários.

A distribuição por sexos é desigual: os homens, que representam apenas 46,5% dos casos confirmados no município, são 63,6% dos falecidos; as mulheres, que predominam com 53,5% dos diagnósticos positivos, somam 36,4% dos óbitos.

Em relação aos falecimentos por faixa etária (compare com o registro de casos por idade, listado abaixo), os registros atualizados até esta sexta-feira (25) apontam:

Óbitos por faixa etária*:
Menores de 1 ano – 0.
De 1 a 9 anos – 0.
De 10 a 19 anos – 0. 
De 20 a 29 anos –  3 (1,2%).
De 30 a 39 anos – 0.
De 40 a 49 anos – 8 (3,2%).
De 50 a 59 anos – 33 (13,2%).
De 60 a 69 anos – 66 (26,4%).
De 70 a 79 anos – 85 (34%).
Maiores de 80 anos – 55 (22%).
* os percentuais são do total de óbitos.

Casos por faixa etária*:
Menores de 1 ano – 116 (0,66%).
De 1 a 9 anos – 530 (3%).
De 10 a 19 anos – 1.225 (6,94%).
De 20 a 29 anos – 3.875 (21,95%).
De 30 a 39 anos – 4.094 (23,2%).
De 40 a 49 anos – 3.296 (18,67%).
De 50 a 59 anos – 2.419 (13,7%).
De 60 a 69 anos – 1.319 (7,47%).
De 70 a 79 anos – 556 (3,15%).
Maiores de 80 anos – 222 (1,26%).
* os percentuais são do total de casos.

O índice de mortalidade, considerando o total de casos e o de óbitos por faixa etária, é o seguinte:

Menores de 1 ano – sem óbitos.
De 1 a 9 anos – sem óbitos.
De 10 a 19 anos – sem óbitos.
De 20 a 29 anos – 0,07%.
De 30 a 39 anos – sem óbitos.
De 40 a 49 anos – 0,24%.
De 50 a 59 anos – 1,36%.
De 60 a 69 anos – 5%.
De 70 a 79 anos – 15,28%.
Maiores de 80 anos – 24,77%.

Na prática, um em cada quatro pacientes com 80 anos ou mais morre vítima da covid em Foz do Iguaçu. Na faixa etária dos 70 aos 79 anos, a letalidade é de um a cada seis ou sete doentes. Dos 60 aos 69 anos, um em cada 20 não resiste às complicações. Nas demais idades, a média está abaixo da letalidade geral de 1,42% registrada no município.

Comorbidades

Até 20/12, de um universo de 235 falecidos em razão da covid em Foz do Iguaçu, 99,6% apresentavam algum tipo de comorbidade. De acordo com os dados, 49 vítimas tinham uma comorbidade; 79 tinham duas; 64 tinham três; 28 tinham quatro; 10 tinham cinco; e duas tinham seis, prejudicando a resposta do organismo aos tratamentos ministrados.

As comorbidades mais comuns relatadas foram*:
Hipertensão – 154
Diabetes – 83
Doença Cardiovascular – 68
Obesidade – 61
Doença Pulmonar – 43
Doença Renal – 31
Doença Neurológica – 30
Neoplasia – 25
Tabagismo – 24
Infecção HIV – 2
* a somatória dá 521, já que a maioria dos pacientes tinha mais de um fator de risco.

Imagem: Secretaria Municipal de Saúde.

Local de Residência

Outra informação relevante compilada no relatório da Secretaria Municipal de Saúde diz respeito ao local de residência das vítimas, considerando a distribuição dos bairros de Foz do Iguaçu em cinco distritos sanitários.

Até 20/12, o Distrito Sanitário Norte (que vai da Vila A à Vila C) concentrava 29% dos falecimentos, seguido pelos distritos Leste (Morumbi, Portal, Jardim São Paulo e Campos), 24,8%; Oeste (Centro e bairros próximos), 22,2%; Sul (Porto Meira e Vila Carimã), 15,8%; e Nordeste (Três Lagoas e Três Bandeiras), 8,1%.

Distribuição por Mês

Quanto à distribuição por mês, a Secretaria Municipal de Saúde, levando em conta a data de falecimento dos pacientes, considera:

Primeiro óbito confirmado em Foz do Iguaçu  26/04
Abril – 2 óbitos.
Maio – 1 óbito.
Junho – 8 óbitos.
Julho – 22 óbitos.
Agosto – 31 óbitos.
Setembro – 42 óbitos.
Outubro – 41 óbitos.
Novembro – 48 óbitos.
Dezembro – 55 óbitos.*
Parcial, calculado até 25/12.

Já o Jornalismo da Rádio RCI Iguassu, que utiliza como critério a data de comunicação no boletim (mesma linha adotada pelos principais veículos de comunicação do país), trabalha com os seguintes registros:

Primeiro óbito confirmado em Foz do Iguaçu  26/04
Abril – 2 óbitos.
Maio – 1 óbito.
Junho – 8 óbitos.
Julho – 19 óbitos.
Agosto – 31 óbitos.
Setembro – 42 óbitos.
Outubro – 41 óbitos.
Novembro – 45 óbitos.
Dezembro – 61 óbitos.*
Parcial, calculado até 25/12.

Nos dois casos, o total de mortes é de 250. A opção pelo critério da data de comunicação ocorre, entre outros fatores, pelo fato de que o dia de falecimento da vítima nem sempre consta no boletim diário, o que dificulta a separação entre óbitos novos ou antigos.

Gráfico: Elaine Della Giustina Soares / Unila.
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 020720PLANTAO-1024x1024.jpg

Guilherme Wojciechowski – Jornalismo RCI.

  • message
    Postado por
    Rádio RCI Iguassu AM 1320 - Notícias
  • today
    Data
    25/12/2020
  • folder
    Categoria
    Notícias de Foz
  • code
    Feito por
    Sistema Plug
more Leia também

Copyright © 2021 Sistema Plug Todos os direitos reservados
Desenvolvimento Web Plug | J.S
Copyright © 2021 | Sistema Plug
Desenvolvido | Web Plug