Ouça agora na Rádio

Tecnologia

Compartilhe agora

Nikola: fundador é acusado de fraude por mentir sobre caminhão

Postado em 30/07/2021 por Sistema Plug

img-page-categoria

Fonte imagem capa:Imagem: Nikola

O empresário Trevor Milton, fundador da montadora Nikola, foi oficialmente acusado nesta quinta-feira (29) de fraude em uma corte distrital de Nova York. As acusações datam de 2020, quando surgiram informações de que o material de divulgação do caminhão Nikola One, que rodaria a partir de células-combustível de hidrogênio, na verdade foi montado para fazer parecer que o veículo de fato estava pronto.

Segundo o site The Vergedesde 2016, ele levantou mais de US$ 500 milhões em investimentos após enganar investidores, já que o produto em questão, na verdade, ainda estava bem longe de ficar pronto.

Milton vendeu uma versão da Nikola não como ela era — uma companhia no início de vida com uma ideia singular para ser comercializada, mas ainda precisando provar os produtos e tecnologia —, mas sim como uma empresa pioneira que já tinha conquistado muitas metas revolucionárias, diz a acusação.


AtéAté mesmo o painel do veículo mostrado nas apresentações seria falso.

Fonte:  Roadshow 

Na verdade, a Nikola ainda não havia finalizado os testes e nem sequer tinha a tecnologia pronta para fazer o caminhão rodar. Mesmo assim, a empresa omitiu esse detalhe e publicou um vídeo mostrando o veículo em uma ladeira, sem precisar de motor para rodar, e com filmagens de diferentes ângulos de um mesmo trajeto, dando a sensação de movimentação em mais de uma localidade.

A acusação diz ainda que todos os componentes elétricos do carro na época, além do compartimento de hidrogênio, ainda nem estavam prontos ou instalados. Até mesmo a interface que aparece no vídeo, com Milton sendo o responsável pela ignição, era um tablet integrado de improviso para simular um painel de controle.


Ascensão e queda

A Nikola aparece há alguns anos no noticiário especializado como uma empresa ousada e rival direta da Tesla — tanto que a montadora adotou o nome do inventor Nikola Tesla, relacionando diretamente ambas as marcas. A marca menos famosa chegou até a processar a concorrente por acusações que não foram levadas adiante.

Em 2020, entretanto, as acusações de fraude começaram e levaram à saída de Trevor da empresa, além do fim de um contrato bilionário com a General Motors. Na época, comentou-se até mesmo que a fraude era uma ameaça ao futuro de caminhões a hidrogênio.