OUÇA A RÁDIO AO VIVO

N Notícia

Divulgação

FOTO: Divulgação

Vacina contra o sarampo será aplicada no sábado em Foz do Iguaçu

Todas as unidades básicas de saúde estarão abertas das 08h às 14h para imunizar à população.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) promove neste sábado (24) campanha de vacinação contra o sarampo. Todas as unidades básicas de saúde estarão abertas das 08h às 14h para imunizar a população.

A campanha pretende conscientizar e também prevenir contra o sarampo, tendo em vista o aumento do número de casos em várias regiões de país e o registro da doença ao Paraná, que já conta com um caso importado, contraído pelo paciente em São Paulo.

Segundo o chefe de divisão epidemiológica, Roberto Doldan, esta situação coloca Foz do Iguaçu em alerta, principalmente. devido às suas características peculiares, como a localização na região de fronteira e o grande fluxo de turistas e caminhoneiros.

A vacina contra o sarampo faz parte do calendário básico do Ministério da Saúde e está disponível permanentemente em todas as unidades básicas de saúde do município.

A imunização contra o sarampo faz parte da vacina tríplice viral, que também protege contra a caxumba e a rubéola. Conforme o calendário, a primeira dose da tríplice viral deve ser ministrada aos 12 meses de idade.

Aos 15 meses, a criança deve tomar uma segunda dose da vacina, a chamada tetra viral, que também imuniza contra a catapora.

A partir dos cinco até os 29 anos de idade, são administradas duas doses com a vacina tríplice viral, com intervalo mínimo de trinta dias entre as aplicações. Pessoas de 30 a 49 anos de idade devem receber uma dose.

A proteção contra as doenças tem início cerca de duas semanas após a imunização. A vacinação é altamente imunogênica e garante proteção duradoura por praticamente toda a vida.

O sarampo é uma doença infectocontagiosa causada por um vírus chamado Morbillivirus, de fácil contágio. A enfermidade tem bastante prevalência em crianças.

Os sintomas iniciais apresentados pelo doente são: febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular, coriza e congestão nasal e mal estar intenso.

Após estes sintomas, há o aparecimento de manchas avermelhadas no rosto, que progridem em direção aos pés, com duração mínima de três dias. São comuns lesões muito dolorosas na boca.

A doença pode ser grave, com acometimento do sistema nervoso central e pode complicar com infecções secundárias como pneumonia, podendo levar à morte.

As complicações atingem mais gravemente os desnutridos, os recém-nascidos, as gestantes e as pessoas portadoras de imunodeficiências.

FONTE: RCI, com Agência Municipal de Notícias
Link Notícia

Contate a RCI

Publicidade

Previsão do Tempo