Ouça agora na Rádio

Ouça agora

Pela quarta vez seguida, Foz do Iguaçu tem pior semana da pandemia, com 1.444 casos e 15 mortes (12/12)

Pela quarta vez seguida, Foz do Iguaçu tem pior semana da pandemia, com 1.444 casos e 15 mortes (12/12)

Postado em 12/12/2020 por

Compartilhe Agora!

Também no período entre domingo (06/12) e este sábado (12/12), 1.411 moradores foram dados de alta das medidas de isolamento.

Gráfico: Elaine Della Giustina Soares / Unila.

Pela quarta vez consecutiva, Foz do Iguaçu viveu a pior semana em registro de casos de covid desde o início da pandemia. É o que aponta o levantamento semanal elaborado pelo Jornalismo da Rádio RCI Iguassu neste sábado (12), tendo como fonte as informações publicadas nos boletins diários emitidos pela Secretaria Municipal de Saúde.

No intervalo entre os dias 06/12 e 12/12, foram 1.444 registros de moradores infectados com a covid-19 na Terra das Cataratas. O número de recuperados foi de 1.411 pacientes. Já o total de casos ativos (pessoas com sintomas ou em fase ativa de transmissão do novo coronavírus) fechou em 841 no último boletim da semana. No mesmo período, 15 óbitos foram reportados.

Resumo dos boletins da semana:
06/12 (domingo): 158 confirmados, 276 recuperados, três óbitos.
07/12 (segunda): 190 confirmados, 213 recuperados, dois óbitos.
08/12 (terça): 242 confirmados, 249 recuperados, três óbitos.
09/12 (quarta): 208 confirmados, 133 recuperados, um óbito.
10/12 (quinta): 247 confirmados, 204 recuperados, três óbitos.
11/12 (sexta): 237 confirmados, 195 recuperados, dois óbitos.
12/12 (sábado): 162 confirmados, 141 recuperados, um óbito.
Total da semana: 1.444 confirmados, 1.411 recuperados, 15 óbitos.

Na comparação com a semana anterior, o volume de novos casos continuou em aumento (de 1.391 para 1.444), mas houve diminuição no número de óbitos (de 20 para 15) e de pacientes hospitalizados (de 146 para 121, tendo como referência o boletim de cada sábado).

Duas das marcas negativas da semana, entretanto, estão relacionadas aos registros diários de novos casos. O boletim de 08/12 trouxe 242 confirmações, maior volume para um único dia em Foz do Iguaçu. Dois dias mais tarde, em 10/12, o “recorde” voltou a ser quebrado: 247.

Outro indicador que merece atenção detalhada é o percentual de resultados positivos dos exames: dos 3.235 resultados divulgados nos últimos sete dias, 44,63% apontaram a presença do novo coronavírus no organismo das pessoas que procuraram atendimento com sintomas gripais ou suspeita de infecção.

Desde o início de dezembro, Foz do Iguaçu está com média de 198,58 casos e 2,5 mortes por dia. Se tal frequência não for reduzida até o dia 31, o mês pode terminar com 6.156 casos e 77 mortes. O pior mês até agora, novembro, teve 4.284 casos e 45 mortes, o que aponta que o atual período é o pior em termos de expansão da covid-19 entre a população iguaçuense.

Confira, abaixo, um comparativo dos principais indicadores, tendo como ponto de partida o “primeiro pico”, ocorrido em julho:

Casos confirmados:
Entre 12/07 e 18/07: 704. (▲)
Entre 19/07 e 25/07: 564. (▼)
Entre 26/07 e 01/08: 430. (▼)
Entre 02/08 e 08/08: 355. (▼)
Entre 09/08 e 15/08: 330. (▼)
Entre 16/08 e 22/08: 372. (▲)
Entre 23/08 e 29/08: 528. (▲)
Entre 30/08 e 05/09: 508. (▼)
Entre 06/09 e 12/09: 511. (▲)
Entre 13/09 e 19/09: 517. (▲)
Entre 20/09 e 26/09: 521. (▲)
Entre 27/09 e 03/10: 407. (▼)
Entre 04/10 e 10/10: 336. (▼)
Entre 11/10 e 17/10: 315. (▼)
Entre 18/10 e 24/10: 630. (▲)
Entre 25/10 e 31/10: 732. (▲)
Entre 01/11 e 07/11: 688. (▼)
Entre 08/11 e 14/11: 912. (▲)
Entre 15/11 e 21/11: 1.045. (▲)
Entre 22/11 e 28/11: 1.187. (▲)
Entre 29/11 e 05/12: 1.391. (▲)
Entre 06/12 e 12/12: 1.444. (▲)
(quarta semana seguida acima de 1.000 e pior registro semanal desde o início da pandemia)

Gráfico: Elaine Della Giustina Soares / Unila.

Média de casos por dia:
Entre 12/07 e 18/07: 100,57. (▲)
Entre 19/07 e 25/07: 80,57. (▼)
Entre 26/07 e 01/08: 61,42. (▼)
Entre 02/08 e 08/08: 50,71. (▼)
Entre 09/08 e 15/08: 47,14. (▼)
Entre 16/08 e 22/08: 53,14. (▲)
Entre 23/08 e 29/08: 75,42. (▲)
Entre 30/08 e 05/09: 72,57. (▼)
Entre 06/09 e 12/09: 73,00. (▲)
Entre 13/09 e 19/09: 73,85. (▲)
Entre 20/09 e 26/09: 74,42. (▲)
Entre 27/09 e 03/10: 58,14. (▼)
Entre 04/10 e 10/10: 48,00. (▼)
Entre 11/10 e 17/10: 45,00. (▼)
Entre 18/10 e 24/10: 90,00. (▲)
Entre 25/10 e 31/10: 104,57. (▲)
Entre 01/11 e 07/11: 98,28. (▼)
Entre 08/11 e 14/11: 130,28. (▲)
Entre 15/11 e 21/11: 149,28. (▲)
Entre 22/11 e 28/11: 169,57. (▲)
Entre 29/11 e 05/12: 198,71. (▲)
Entre 06/12 e 12/12: 206,28. (▲)
(pior média desde o início da pandemia)

Pico de casos em um único dia:
Entre 12/07 e 18/07: 168 (16/07). (▲)
Entre 19/07 e 25/07: 110 (24/07). (▼)
Entre 26/07 e 01/08: 76 (29/07). (▼)
Entre 02/08 e 08/08: 66 (04/08). (▼)
Entre 09/08 e 15/08: 66 (10/08). (=)
Entre 16/08 e 22/08: 75 (20/08). (▲)
Entre 23/08 e 29/08: 120 (29/08). (▲)
Entre 30/08 e 05/09: 117 (03/09). (▼)
Entre 06/09 e 12/09: 99 (11/09). (▼)
Entre 13/09 e 19/09: 95 (19/09). (▼)
Entre 20/09 e 26/09: 109 (25/09). (▲)
Entre 27/09 e 03/10: 107 (03/10). (▼)
Entre 04/10 e 10/10: 94 (10/10). (▼)
Entre 11/10 e 17/10: 81 (17/10). (▼)
Entre 18/10 e 24/10: 143 (24/10). (▼)
Entre 25/10 e 31/10: 150 (30/10). (▲)
Entre 01/11 e 07/11: 134 (06/11). (▼)
Entre 08/11 e 14/11: 229 (11/11). (▲)
Entre 15/11 e 21/11: 229 (21/11). (=)
Entre 22/11 e 28/11: 220 (24/11). (▼)
Entre 29/11 e 05/12: 241 (29/11). (▲)
Entre 06/12 e 12/12: 247 (10/12). (▲)
(pior marca para um único dia desde o início da pandemia)

Pacientes recuperados:
Entre 12/07 e 18/07: 510. (▲)
Entre 19/07 e 25/07: 700. (▲)
Entre 26/07 e 01/08: 694. (▼)
Entre 02/08 e 08/08: 429. (▼)
Entre 09/08 e 15/08: 316. (▼)
Entre 16/08 e 22/08: 349. (▲)
Entre 23/08 e 29/08: 483. (▲)
Entre 30/08 e 05/09: 533. (▲)
Entre 06/09 e 12/09: 473. (▼)
Entre 13/09 e 19/09: 456. (▼)
Entre 20/09 e 26/09: 444. (▼)
Entre 27/09 e 03/10: 490. (▲)
Entre 04/10 e 10/10: 364. (▼)
Entre 11/10 e 17/10: 318. (▼)
Entre 18/10 e 24/10: 444. (▲)
Entre 25/10 e 31/10: 746. (▲)
Entre 01/11 e 07/11: 702. (▼)
Entre 08/11 e 14/11: 773. (▲)
Entre 15/11 e 21/11: 912. (▲)
Entre 22/11 e 28/11: 1.108. (▲)
Entre 29/11 e 05/12: 1.250. (▲)
Entre 06/12 e 12/12: 1.411. (▲)
(maior total para uma única semana, mas inferior ao de novos infectados no período)

Casos ativos:
Boletim de 18/07: 666. (▲)
Boletim de 25/07: 509. (▼)
Boletim de 01/08: 305. (▼)
Boletim de 08/08: 225. (▼)
Boletim de 15/08: 233. (▲)
Boletim de 22/08: 249. (▲)
Boletim de 29/08: 286. (▲)
Boletim de 05/09: 250. (▼)
Boletim de 12/09: 280. (▲)
Boletim de 19/09: 332. (▲)
Boletim de 26/09: 398. (▲)
Boletim de 03/10: 302. (▼)
Boletim de 10/10: 263. (▼)
Boletim de 17/10: 253. (▼)
Boletim de 24/10: 428. (▲)
Boletim de 31/10: 405. (▼)
Boletim de 07/11: 381. (▼)
Boletim de 14/11: 511. (▲)
Boletim de 21/11: 635. ()
Boletim de 28/11: 702. ()
Boletim de 05/12: 823. ()
Boletim de 12/12: 841. (▲)
(pior registro do período monitorado)

Pacientes internados*:
Boletim de 18/07: 48. (▲)
Boletim de 25/07: 65. (▲)
Boletim de 01/08: 61. (▼)
Boletim de 08/08: 59. (▼)
Boletim de 15/08: 52. (▼)
Boletim de 22/08: 47. (▼)
Boletim de 29/08: 67. (▲)
Boletim de 05/09: 75. (▲)
Boletim de 12/09: 89. (▲)
Boletim de 19/09: 91. (▲)
Boletim de 26/09: 83. (▼)
Boletim de 03/10: 73. (▼)
Boletim de 10/10: 65. (▼)
Boletim de 17/10: 64. (▼)
Boletim de 24/10: 59. (▼)
Boletim de 31/10: 63. ()
Boletim de 07/11: 77. (▲)
Boletim de 14/11: 91. (▲)
Boletim de 21/11: 104. ()
Boletim de 28/11: 127. ()
Boletim de 05/12: 146. ()
Boletim de 12/12: 121. (▼)
(queda na comparação com a semana anterior)
* pacientes exclusivamente de Foz do Iguaçu, com diagnóstico confirmado para covid.

Gráfico: Elaine Della Giustina Soares / Unila.

Óbitos:
Entre 12/07 e 18/07: 5. (▲)
Entre 19/07 e 25/07: 4. (▼)
Entre 26/07 e 01/08: 5. (▲)
Entre 02/08 e 08/08: 6. (▲)
Entre 09/08 e 15/08: 6. (=)
Entre 16/08 e 22/08: 7. (▲)
Entre 23/08 e 29/08: 8. (▲)
Entre 30/08 e 05/09: 11. (▲)
Entre 06/09 e 12/09: 8. (▼)
Entre 13/09 e 19/09: 9. (▲)
Entre 20/09 e 26/09: 11. (▲)
Entre 27/09 e 03/10: 9. (▼)
Entre 04/10 e 10/10: 11.(▲)
Entre 11/10 e 17/10: 7. (▼)
Entre 18/10 e 24/10: 11. (▲)
Entre 25/10 e 31/10: 9. (▼)
Entre 01/11 e 07/11: 10. (▲)
Entre 08/11 e 14/11: 9. ()
Entre 15/11 e 21/11: 9. (=)
Entre 22/11 e 28/11: 12. (▲)
Entre 29/11 e 05/12: 20. (▲)
Entre 06/12 e 12/12: 15. (▼)
(segunda pior mortalidade desde o início da pandemia)

Taxa de letalidade:
Boletim de 18/07: 0,91%. (▲)
Boletim de 25/07: 0,87%. (▼)
Boletim de 01/08: 0,91%. (▲)
Boletim de 08/08: 0,98%. (▲)
Boletim de 15/08: 1,05%. (▲)
Boletim de 22/08: 1,12%. (▲)
Boletim de 29/08: 1,16%. (▲)
Boletim de 05/09: 1,26%. (▲)
Boletim de 12/09: 1,28%. (▲)
Boletim de 19/09: 1,32%. (▲)
Boletim de 26/09: 1,38%. (▲)
Boletim de 03/10: 1,42%. (▲)
Boletim de 10/10: 1,50%. (▲)
Boletim de 17/10: 1,53%. (▲)
Boletim de 24/10: 1,55%. (▲)
Boletim de 31/10: 1,52%. (▼)
Boletim de 07/11: 1,52%. (=)
Boletim de 14/11: 1,47%. (▼)
Boletim de 21/11: 1,42%. (▼)
Boletim de 28/11: 1,38%. (▼)
Boletim de 05/12: 1,39%. (▲)
Boletim de 12/12: 1,36%. (▼)
(queda em relação à semana anterior)

Exames realizados:
Entre 12/07 e 18/07: 1.780 (1.076 negativos e 704 positivos / 39,55%)
Entre 19/07 e 25/07: 2.051 (1.487 negativos e 564 positivos / 27,49%)
Entre 26/07 e 01/08: 2.318 (1.888 negativos e 430 positivos / 18,55%)
Entre 02/08 e 08/08: 1.843 (1.488 negativos e 355 positivos / 19,26%)
Entre 09/08 e 15/08: 1.714 (1.384 negativos e 330 positivos / 19,25%).
Entre 16/08 e 22/08: 1.486 (1.114 negativos e 372 positivos / 33,39%).
Entre 23/08 e 29/08: 2.002 (1.474 negativos e 528 positivos / 35,82%).
Entre 30/08 e 05/09: 1.957 (1.449 negativos e 508 positivos / 25,95%).
Entre 06/09 e 12/09: 1.952 (1.441 negativos e 511 positivos / 26,17%).
Entre 13/09 e 19/09: 1.928 (1.411 negativos e 517 positivos / 26,81%).
Entre 20/09 e 26/09: 1.893 (1.372 negativos e 521 positivos / 27,52%).
Entre 27/09 e 03/10: 1.459 (1.052 negativos e 407 positivos / 27,89%).
Entre 04/10 e 10/10: 1.552 (1.216 negativos e 336 positivos / 21,64%).
Entre 11/10 e 17/10: 1.226 (911 negativos e 315 positivos / 25,69%).
Entre 18/10 e 24/10: 1.888 (1.258 negativos e 630 positivos / 33,36%).
Entre 25/10 e 31/10: 2.009 (1.277 negativos e 732 positivos / 36,43%).
Entre 01/11 e 07/11: 1.949 (1.261 negativos e 688 positivos / 35,30%).
Entre 08/11 e 14/11: 2.360 (1.448 negativos e 912 positivos / 38,64%).
Entre 15/11 e 21/11: 2.549 (1.504 negativos e 1.045 positivos / 40,99%).
Entre 22/11 e 28/11: 4.501 (3.314 negativos e 1.187 positivos / 26,37%).
Entre 29/11 e 05/12: 3.097 (1.706 negativos e 1.391 positivos / 44,91%).
Entre 06/12 e 12/12: 3.235 (1.791 negativos e 1.444 positivos / 44,63%).
(segundo maior percentual de resultados positivos)

Gráfico: Elaine Della Giustina Soares / Unila.

Acumulado

No boletim deste sábado (12), Foz do Iguaçu apresenta 16.131 casos confirmados, dos quais 15.071 pacientes já estão recuperados e 841 seguem em período de manifestação de sintomas e transmissão do vírus (720 em isolamento domiciliar e 121 internados na rede hospitalar). A Terra das Cataratas já teve, também, 219 mortes em decorrência do novo coronavírus.

Na somatória dos meses de março, abril e maio, Foz do Iguaçu contabilizou 128 casos confirmados e três mortes. Em junho, foram outros 768 casos e oito mortes. Julho fechou com 2.447 casos positivos e 19 mortes. Agosto teve 1.732 confirmações e 31 óbitos. Setembro terminou com 2.173 casos e 42 mortes incluídas nos boletins. Outubro teve 2.216 casos e 41 falecimentos. Novembro terminou com 4.284 casos e 45 mortes. Dezembro, em 12 dias, tem 2.383 casos e 30 óbitos.

Guilherme Wojciechowski – Jornalismo RCI.

3 comentários “Pela quarta vez seguida, Foz do Iguaçu tem pior semana da pandemia, com 1.444 casos e 15 mortes (12/12)”

Deixe um comentario

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.